TEMPO
18 C
céu pouco nublado
Brusque
humidity: 82%
wind: 4 m/s NE
H21 • L16
Sat
21 C
Sun
20 C
Mon
23 C
Tue
25 C
Wed
25 C
19/07/2019
HomeTURISMO EDUCATIVOESCOLA PAQUETÁ FAZ VIAGEM DE ESTUDOS AO PARANÁ

ESCOLA PAQUETÁ FAZ VIAGEM DE ESTUDOS AO PARANÁ

Os alunos dos oitavos anos da Escola de Ensino Fundamental Paquetá realizaram no dia 14 de junho (sexta-feira) uma saída a campo ao estado do Paraná. A viagem foi organizada pelo Professor de Geografia João Mantovani e acompanhada pela Professora Anívia Otto e pela Coordenadora Goreti Dutra. Na oportunidade, os alunos conheceram o Parque Estadual de Vila Velha, uma Unidade de Conservação localizada no município de Ponta Grossa; as Estrias Glaciais de Witmarsum, no município de Palmeira; e o Jardim Botânico, na capital paranaense, Curitiba. Associar a teoria com a realidade foi o que motivou a saída a campo, bem como, estimular os alunos do Ensino Fundamental a conhecer melhor o espaço, o país e o mundo onde vivem.

A viagem teve início às 3 horas do dia 14 de junho com destino inicial a cidade de Ponta Grossa para visitação no Parque Estadual de Vila Velha. O local é repleto de formações areníticas com mais de 300 milhões de anos que foram esculpidas ao longo de milhões de anos, formando diversas figuras que se transformaram em um dos atrativos turísticos mais importantes do estado do Paraná. Visitar o Parque Estadual de Vila Velha é conhecer o fundo do mar. Vila Velha está localizada em local que já foi o fundo do mar há cerca de 340 milhões de anos, nos tempos do super continente “Gondwana”. Naquela época a atual América do Sul era ligada a outros continentes como África, Antártida, Oceania e Asia. O fato é que os continentes se dividiram e o mar que existia no local foi drenado. O que sobrou na região foi o material arenoso do seu fundo, que com a ação do oxido de ferro, acabou sendo “cimentado”.

Logo após o almoço, o grupo foi conhecer as Estrias Glaciais de Witmarsum. Essas estrias foram formadas pela movimentação das geleiras. O assoalho rochoso foi “riscado” pelos detritos rochosos contidos no fundo da geleira, formando as estrias. Durante o degelo, ficou o resultado deste avanço. Este afloramento é um registro marcante da grande glaciação que ocorreu, entre 360 e 270 milhões de anos atrás, quando toda porção sul do antigo supercontinente Gondwana ficou coberto por espessas camadas de gelo. A rocha na qual estão impressas estas estrias, é um arenito formado pela compactação e endurecimento de camadas sucessivas de areia. Naquela época esta região estava mais próxima ao Polo Sul e a temperatura média na Terra era muito baixa, período que corresponde a uma das grandes eras glaciais do passado terrestre. O local é considerado um sítio geológico por ser testemunho de grande movimentação continental.

No período da tarde, os alunos visitaram o famoso Jardim Botânico de Curitiba, um dos principais pontos turísticos da capital paranaense. A viagem possibilitou um momento de aprendizagem mais dinâmica, associando os temas estudados em sala de aula, além de disseminar a cultura de viagem como experiência para ampliar o conhecimento sobre o Brasil e o mundo.

Sem comentários
%d blogueiros gostam disto: